Tim 7191810853 Zapp7197331958 Zp7196340735 ALBA7130144337

Salve!


I made this widget at MyFlashFetish.com.

Seja um Seguidor. Assim você permanece visível e colabora com a multiplicação das informações.Seja

sábado, 27 de julho de 2013

1° SEMINÁRIO ASPRA/Feira

A ASPRA/Feira tem lutado para fazer a sua missão de representante dos policiais militares e, essa luta tem vingado. Temos a consciência de que estamos no caminho correto. É seguindo nessa tendência que vamos realizar o

1° Seminário ASPRA/Feira

Um evento exigente e super importante para o momento de promessas que a tropa vive... Encaramos com coragem e naturalidade mais esse desafio, cujos ítens principais da pauta são

1° a REESTRUTURAÇÃO DA CARREIRA PMBA
2° a LOB.

O problema é que já existe uma proposta ameaçadora de proveniente do CMDO Geral da PMBA... Um perigo vindo em nossa direção com o pretexto de reforma estatutária... A tropa tem representante porque parte dela já é filiada à ASPRA; por isso também a ASPRA tem representatividade.

Cada um PM tem que ser ativo agora. Tomar ciência do assunto, contestar o que prejudica e apontar a direção desejada. O que não pode é se omitir nem permitir que a inércia o domine.

Vale ressaltar aqui que PRISCO está na comissão re estruturante, mas ele só votará no que a tropa decidir, concordar ou mandar. Vamo que vamo!

"E diga ao povo que marche" Êxodo 14:15

segunda-feira, 11 de março de 2013

Denunciou por completo, em ago/2013

A ASPRA já te deu provas D+


A ASPRA, cumprindo seu cronograma de ações em postos, destacamentos e Cias PM, visitou os Policiais Militares do presídio, nesta 2ª feira, 16/08/2010. Foi mais um tento marcado pela jovem entidade, que também iniciou um ciclo inédito entre os PMs daquela unidade penal: de encontro, discussões, debates e busca de soluções para diversos problemas que ali incomodam "os" praças há décadas. Tudo ocorreu na modalidade de seminário, em que policiais chgavam e saiam, reveszando em virtude da mudança de guarnição. Durou das 7:30 às 10:50hs e, depois de calorosas de falas, entre reclames e sugestões em que todos participaram; extraiu-se uma série de queixas e solicitações.


Pauta enxuta:

Ficou combinado, por decisão de todos os presentes, que deveríamos reduzir o número de itens reclamados e encaminhá-los a cada setor competente.



Pontuando:

1- Instalações e condições de trabalho

a- Guaritas que não proporcionam abrigo contra as intempéries;

b- Más condições de acesso às guaritas. Falta de drenagem. Risco de choques elétricos;

c- Falta de dedetização nas guaritas. Infestações;

d- Tampões dos lastros das guaritas. Quebrados e mal fixados ou totalmente soltos;

e- Falta de meios para satisfazer as necessidades fisiológicas. Sanitários;

2- Escala

a- Mudança no revezamento dos quartos de hora; de 3X3 para 2X4.

3- Segurança

a- Guaritas desabitadas.

b- Livre circulação de pessoas e veículos;

c- Diretriz, orientação, norma ou regra norteadora dos procedimentos policiais.

A próxima rodada será na 4ª feira, 18/08/2010, quando estarão sentando as outras duas guarnições para concluir os trabalhos. Por enquanto.

Depois dos encaminhamentos, abriremos um prazo para adequações e, se for necessário, realizaremos outros eventos com envolvendo seguimentos da sociedade organizada. Poderá ser um forum ou uma audiência pública, onde serão abordados, com maior amplitude, os assuntos mais complexos



Presídio Regional de Feira de Santana

Relatório das condições de trabalho, Queixas e solicitações.



Senhor comandante, em cumprimento às recomendações institucionais desta corporação PM e das legislações que nos regem, com intuito de colaborar com o sucesso dessa administração, e de zelar pelo bom andamento dos serviços que executo sob vosso comando, venho informar a V.S.ª os problemas e precariedades que tanto dificultam, ameaçam e até inviabilizam a atividade Policial Militar nesta casa penal.

A maioria das deficiências estão relacionadas com as guaritas. Elas são mal projetadas, não oferecem abrigo contra as intempéries da natureza, e nada resta enxuto no interior delas quando as tempestades surgem repentinas. As águas que caem nas bordas do teto escorrem pelas "abas" inclinadas deste e gotejam para dentro da guarita; ”o praça” fica acuado, contorcido e esgueirando-se na tentativa de defesa, mas não há jeito ...tudo se torna um alagado só. Isso não apenas indigna o Homem como afeta seu ânimo, sua saúde, destrói o espírito profissional, além do que, danifica os materiais e equipamentos como arma munição rádio e etc.

Ainda sob chuvas, as condições de acesso às guaritas são uma lástima. Não há drenagem. A frente do presídio (indo para as guaritas 15, 14...) a sensação que se tem é de estar diante de um rio ou lago em forma de atoleiro, cujos níveis são visíveis pelas marcas da água, impregnadas no próprio muro da cadeia. Tudo isso se agrava pela ausência de pavimento e principalmente por haver, rente ao solo, dutos e caixas abertas com redes elétricas (ligadas), em toda extensão alagada, no entorno do presídio e no "pé" das guaritas; recobertas pelas águas, lama ou vegetação, essas caixas ficam invisíveis para quem transita, representando risco potencial de acidente, com consequências indesejáveis. Assim, o sufoco se instala: sair da guarita é perigoso e chegar até ela é quase impossível. Em várias situações, por não cessarem as chuvas, já foram feitas verdadeiras operações de resgate ao PM da guarita; algo ridículo e contemplado pela população, espantada.

Também gera incômodos a falta de dedetização nas guaritas; são comuns infestações de baratas e desagradáveis "visitas" de cobras, aranhas caranguejeiras e escorpiões. Nem todos policiais relatam isso; pois há uma sensação de não haver a quem se queixar.

Outro problema, são os tampões dos lastros das guaritas. Quebrados e mal fixados ou totalmente soltos, colocam em risco tanto quem sobe na guarita, pela possibilidade de o trambolho despencar e atingi-lo na cabeça, quanto quem está dentro dela, por pisar em falso, etc. e já ocasionaram acidentes.

Há um drama particular que surpreende o praça: -os momentos de desarranjo intestinal-. Nessas horas o desespero toma conta da situação e põe em vexame a autoridade policial. Não ter como satisfazer as necessidades fisiológicas é dramático, aviltante e prejudicial à saúde do ser humano; pois a recomendação da medicina é que se consuma muito líquido, principalmente nos dias quentes; isso aumenta a frequência urinária, porém, nas guaritas, não há previsão para algo tão natural, obrigando o Homem a práticas doentis. É comum, o policial ser acometido por infecções urinárias e, a partir dos relatos, o médico conclui terem sido causadas por retardar a urina e/ou urinar em vasilhames como copos e garrafas, reutilizando-os.

Já as questões ligadas à segurança, tanto do profissional quanto do sistema penitenciário, formam um capítulo à parte, e têm pontos muito perigosos, os quais, é preferível não relatar sem o devido sigilo, para evitar-se despertar os inimigos da paz social, que eventualmente saibam de tais debilidades. Ressalto apenas, que uma guarita desabitada (vazia) é mais prejudicial à segurança do que a inexistência dela. É que a guarita constitue obstáculo à visibilidade e forma uma barreira na linha de visão do policial, impedindo que este enxergue após ela rente ao muro; no entanto, se a desabitada não existisse teria-se a cobertura visual perfeita de toda a extensão do muro sem qualquer dificuldade. Além disso, vazia, ela oferece possibilidade de esconderijo a meliantes ou curiosos. Já houve caso de pessoas estarem se revezando subindo e descendo da guarita(...). Assim, ou se ativa a guarita ou é melhor arrancá-la do lugar. Do jeito que vai não dá para continuar; tem guarita desativada há décadas, configurando uma real situação de abandono, pois não é raro ter-se, das 17(dezessete) guaritas, só 4(quatro) ou 5 (cinco) ocupadas. Dessa constatação se conclui que 4ou5 guaritas estão a serviço enquanto outras 12 ou 13 estão a desserviço. Tais problemas se agravam pela falta das necessárias medidas administrativas e oficiais para impedir a livre circulação de pessoas e veículos em volta do presídio.

Saliento ainda que desconhecemos qualquer diretriz, orientação, norma ou regra com vistas a nortear, padronizar ou ao menos direcionar os procedimentos que o policial deva adotar frente a situações previsíveis de fuga e evasão de preso ou em caso de cometimento de delitos pelos mesmos, como desacatos, agressões mútuas; uso, porte e tráfico de drogas ou armas, por exemplo. Tais determinações de conduta são essenciais para respaldar a ação do profissional PM dentro do princípio do direito que só permite ao agente público fazer aquilo que a lei manda. Desse modo, almejamos a adoção de regimento que se antecipe aos fatos, a fim de evitar-se a repetição de episódios em que juízos temerários venham exigir comportamentos inexigíveis, milagrosos ou sobrenaturais; quando as circunstâncias reais já não possam mais ser estabelecidas. Ficando então o policial exposto a julgamentos "rifados", a condenações com base em "achamentos" ou a mercê de uma salvadora opinião pública favorável; se existir.



Pontuando:

1- Instalações e condições de trabalho

a- Guaritas que não proporcionam abrigo contra as intempéries;

b- Más condições de acesso às guaritas. Falta de drenagem. Risco de choques elétricos;

c- Falta de dedetização nas guaritas. Infestações;

d- Tampões dos lastros das guaritas. Quebrados e mal fixados ou totalmente soltos;

e- Falta de meios para satisfazer as necessidades fisiológicas. Sanitários;



2- Escala

a- Mudança no revezamento dos quartos de hora; de 3X3 para 2X4.

3- Segurança

a- Guaritas desabitadas.

b- Livre circulação de pessoas e veículos;

c- Diretriz, orientação, norma ou regra norteadora dos procedimentos policiais.

Sobre o conteúdo supracitado, solicitamos providências, ao tempo em que manifestamos confiança nos bons propósitos de V.S.ª e externo a convicção de estar cumprindo a nossa parte.











Foi tudo Protocolado nos devidos órgãos competentes: 1ºBPM, CPRL, 67CIPM, 2ºGBM, Vigilancia Sanitária e Ministério Público.



As providências, talvez estejam a caminho, muito embora já houveram mudanças na direção de melhorar. Quem trabalha lá sabe que tem uma reforma em andamento, foi colocado um alambrado ao redor do Presídio, muitas guaritas foram demolidas e até ARCONDICIONADO tá chegando. A luta não foi vã.





Josafá Ramos


E agora, Maj Jamerson?

Mais uma entrevista do dia 02/02/2012; Josafá Ramos fala após os 4min.

Assista!

Faz algum tempo que eu já vinha editando esse vídeo/áudio. Trata-se de mais uma entrevista, concedida por min, no dia 02/02/2012, o dito cujo dia em que o Major Jamerson me acusa de estar agindo em Salvador - a denunciação caluniosa de roubo de viatura, contra mim. Dessa vez o repórter

não está no 1º Batalhão, mas eu falei de lá sim, inclusive fui para trás da CORSET, para evitar interferência com o carro de som (aquele ELBA verde) que estava sintonizado na Sociedade para o pessoal ouvir.


Nesse material estão selecionados trechos de destaque do programa "DE OLHO NA CIDADE", da Rádio Sociedade de Feira de Santana, cujos âncoras são os conceituados jornalistas dessa Cidade, Jorge Biancchi e Valdomiro Silva (este é hoje secretário de comunicação da Prefeitura feirense também).



Então, aí está mais uma prova e clara demonstração de que naquela data, o 2fev2012, eu, Josafá Ramos não arredei o pé da frente do 1°BPM, em frança atuação, junto à imprensa e envolvido com os acontecimentos, traumáticos por sinal, que marcaram aquele dia por inteiro.



Foi um dia de pranto, desde cedo tivemos a notícia de um assalto a ônibus, pro lado de Serrinha, no qual um PM teria sido surpreendido pelos marginais(não conseguimos confirnação desse caso).

Depois tivemos as declarações oficiais de que o movimento não existia;

mais tarde veio a decisão da justiça, de multar e determinar ilegalidade do movimento; a seguir começaram os arrastões, com correrias e sustos. Mas o ponto alto da nossa tristeza foi o assassinato do Sargento Valmir Oliveira. Isso me abalou, especialmente(você percebe esse estress na entrevista).



Digo que esse foi o pior dia da minha vida... Dói só de lembrar.



Nem bem "baixou a poeira" da morte do Sgt, surge uma notícia bombástica - SD PM Josias foi baleado. O drama aumentou, pois o companheiro da 65ªCIPM fora atacado na própria área onde mora e da CIA que trabalhava. Além disso, todos que estavam lá, juntos na frente do 1°BPM, sabem o porque de tanta comoção nessa hora. Os casos bárbaros estavam ocorrendo próximo do 1° Batalhão e, com pessoas do nosso meio de convívio e de batalha.



Roteiro

Dep Carlos Geilson, até 1min e 12seg.

Aldo Matos, até 2min e 29seg.

Biancchi, Valdomiro, Biancchi at 4e14.

Josafá Ramos, até os 6min.

Valdomiro Silva, até 7min.

Luís Santos, até o fim, 8min.



Todos os ouvintes de rádio AM, tanto de Feira como de um enorme número de municípios achamos, são testemunhas em potencial dessa minha presença na frente do 1° BPM.



Com a palavra o acusador, Sr. Major PM Jamerson Encarnação de Queiroz, CMTE da 48ªCIPM/Salvador.



Além dele, devem se pronunciar os oficiais que apuraram o PAD e jogaram a culpa nas minhas costas:

A comissão apuradora,

Maj Edeildo RANGEL

Cap RIOS

Cap LUÍS



No mais esperamos que a Corregedoria Geral da PMBA dê um arremate digno de credibilidade ao caso e, reverta a condenação que me impuseram. Vergonha!

Aguardem cenas dos proximos capitulos.



MESMO QUE EU QUISESSE COMETER ESSE CRIME NÃO SERIA POSSÍVEL. NÃO POSSO ESTÁ EM DOIS LUGARES TÃO DISTANTES A UM SÓ TEMPO.



Josafá Ramos SDPM da 67CIPM/FSa - O INJUSTIÇADO.



75) 99552336tim

75) 88229354oi

75) 82301449claro



Se você presenciou algo do dito roubo de viatura, ou se sabe detalhe importante a respeito, mantenha contato comigo por favor, em off!

GARANTO PRESERVAR A FONTE E, NUNCA REVELAR TEU NOME.



sábado, 16 de fevereiro de 2013






 O Cb PM Jeoás é um integrate da ASPRA/RN e da ANASPRA, entidades de defesa dos Policiais Militares, sendo que a ASPRA tem caráter estadual, com regionais em Municípios enquanto que a ANASPRA é a composta por várias ASPRAs e tem atuação Nacional. 

Jeoás é um baluarte das lutas PMs Brasil a fora. Ativista de primeira linha, que percorre o Território inteiro, atuando em movimemtos seja de reivindicação ou de debates sobre cotidiano e as agruras da categoria PM. É um verdadeiro herói que enfrenta dificuldes com custeio, suporte de locomoção e hospedágem, como um guerreiro dessa terrível batalha que rende distância da família, traquejo, cadeia e até risco de vida. 

Ele foi um dos 12 (dose), marginalizados e enjaulados, por conta da greve da PMBA/2012

 
 Sd Josafá Ramos entrevista Cabo Jeoás Dirigente
da ASPRA/ANASPRA





DR. FÁBIO BRITO SGT da PMBA e ADVOGADO, um Homen só, mas uma caçamba de talento a serviço da transformação que a Polícia necessita. Um revolucionário voluntarioso. Combativo nas demandas jurídicas da ASPRA em prol do associado e com amplo efeito para toda a corporação. A atuação desse operador do direito tem a preciosidade do ouro, mas ele se empenha mais do que de graça, porque além renunciar os altos ganhos que a lida nos tribunais proporciona, ele ainda leva "ferro" - perseguição atipatias e até cadeia. Ele foi um dos 12 (dose), que foram marginalizados e enjaulados, por conta da greve da briosa PMBA/2012.


O Policial Militar esta submetido a uma justiça dita CASTRENSE (um direito castrado), a qual é muito restrita e limitada enquanto mercado de trabalho para os profissionais do ramo... Prova disso é que as Universidades despresam o Direito Militar.
Você sabia,
  Que a Justiça Militar tem toda a sua estrutura própria, como uma Justiça independente, com instâncias, comarcas e graus, além de Ministério Público também Militar?
  Que para defender um PM, o Advogado precisa reestudar quase tudo que aprendeu na faculdade, adaptando ao Direito CASTRENSE?
Pensando nisso, percebe-se facilmente que defender o PM é tarefa difícil e cara. Por outro lado, os problemas são complexos a quantidade de Policiais é pequena, e a nossa capacidade de pagar, menor ainda. 
Então, QUEM É O DR. QUE QUER DEFENDER O POLICIAL MILITAR?


O associado da ASPRA conta com essa pérola de Dr.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

PRISCO frente a frente com o Gov, JAQUES WAGNER. Encontro do ano


video

Governador Jaques Wagner convida o vereador SD Prisco e num marcante encontro abre um canal de conversação - Uma audiência anunciada para a próxima semana, após o carnaval. 

Esse pode ser considerado o grande encontro do ano! Uma vez que há muito tempo se arrasta  uma verdadeira queda de braço entre os dois, por conta  do dilema na justiça, pela reintegração de Prisco e; em razão da bravura com que o SD se colocou em defesa dos interesses da corporação Policial Militar, o que lhe rendeu marginalização e cadeia "dura".

SINDPRAÇA: Praças reclamam por tratamento igualitário com Oficiais em camarote da PM-BA. --------------------------Outra queixa é que Praça não tem acesso à ala dos Oficiais; mas estes têm livre circlação em todo o camarote.

SINDPRAÇA: Praças reclamam por tratamento igualitário com Oficiais em camarote da PM-BA. --------------------------Outra queixa é que Praça não tem acesso à ala dos Oficiais; mas estes têm livre circlação em todo o camarote.

sábado, 19 de janeiro de 2013

PADecendo nada de cópia

A PMBA cobre todo o Estado baiano. Isso não é novidade; agora por que um SD, que mora em Feira de Santana e trabalha numa Compania INDEPENDENTE dessa mesma Cidade, é compelido a ir responder uma bronca tão estranha assim em SALVADOR?

Justamente um PAD, em que o PM fica com restrições no seu exercício funcional.

Bem, até hoje essa indagação causa inquietude... 

Mas, as consequências disso, foram enredos de atritos e perturbação para tudo que é lado: viagens perdidas, atrasos, ausência a oitivas, complicação para a defesa se fazer presente e entreveros.


O vídeo abaixo, para mim não é nada agradável. Acho até constrangedor publicá-lo, entretanto, vi-me afogado em meio a esse "samba do crioulo doido", sem ter nada a justificar nem mesmo provar... Porém impotente, vendo o rolo compressor se aproximando e a sensação de precipício ao redor. Não tinha jeito.

Relutei, pedir, aguardei, isso depois de já vim tentado comunicação por telefone durante três dias; ligando pela manhã e pela tarde, para os telefones fixos da Corregedoria e para o celular do próprio Cap Luiz. Tanto liguei, quanto a Advogada ligou, a Dra. Raquel; ligávamos e passávamos msg de texto... e nada! tudo isso com a campanha política do 23190 "em curso" aqui em Feira.
Não podia perder o prazo nem fazer descaso, tinha de ir buscar a cópia, mas precisava saber quando...





ALÉM DO MAIS, EU JÁ ESTAVA, como dizia minha vó, IGUAL A "GATO ESCALDADO" QUE TEM MEDO ATÉ DE ÁGUA FRIA... 
Por quê?

Vou contar. Havia uma semana, enviamos um termo processual por fax, para o próprio Cap Luiz; tal foi o consentimento que ele mesmo passou o número do fax e combinamos tudo pelo seu telefone celular, um tim, por sinal. FIZ TUDO COM O MÁXIMO DE CRITÉRIO E, SEMPRE RECOMENDADO PELA DRA., PARA NÃO HAVER FALHAS. 
Mantive contato com a "moça" antes;
informando o assunto e o destino; 
anotei o nome dela;
conferir o número do Fax e;
repetir tudo depois de enviado, pedido que lesse e dissesse se estava legível... Uma serimonha! Tudo feito alí de uma lan hause, dentro do Mandacarú, onde o proprietário, que tem meus contatos e sabia do que se tratava, ajudou-me inclusive efetuando a última ligação.
Tudo pronto, guardei os comprovantes e, sosseguei.



Quer saber no que deu? HaiAi!
Dias seguintes, na oitiva do repórter Mário Sepúlveda, o Capitão Luiz, valendo-se de uma situação lá, afirmou "passaram um fax todo borrado, sem graça, sem ter como se saber de nada e, saíram corendo de lan hause, que ninguém sabia...". Esbocei dar explicação e saber o havia ocorido, mas, foi o mesmo que "passar sabão na orelha de burro", como diziam os antigos. Calei-me, ouvindo ele dizer que de nada adiantara praticamente.



ENTÃO, NESSE DIA DA CÓPIA DO PAD, SE EU NÃO TIVESSE UMA PROVA DE QUE FUI LÁ E TENTEI OBTER O DOCUMENTO, CERTAMENTE HAVIA RISCO DE NOVO CAPÍTULO NA NOVELA DESSE PROCESSO.


Diz para mim, se não seria, fala, vai!






Desde as 7h na corregedoria em Salvador, para tirar cópia do PAD, a fim de fazer defesa final, o SD Josafá retorna para Feira de Santana, às 11h, sem sucesso. O Capitão Luiz exigia que só o Advogado copiar o Processo e negava-se a emitir comprovante de que tentei obter o documento.
Detalhe: A) O PAD poderia ser xerocado na própria corregedoria ou numa Lan Hause.
                B) Essa foi a terceira vigem em vão.
               C) Se eu conseguisse um Advogado ali, ele só pegaria o PAD com minha assinatura em uma procuração.



ÁLIBE PERFEITO a prova cabal da inocência

MAJOR acusa soldado de roubar viatura.
Segundo o Maj PM Jamerson Encarnação de Queiroz, no exato momento dessas entrevistas feitas em Feira de Santana, o entrevistado (SD Josafá Ramos) roubava do acusador a BLAZER quatro portas. Viatura essa, na qual circulavam em estado de alerta, o próprio Major comandando um Tenente e dois Soldados, todos fortemente armados, em Salvador.

Detalhes: 1) O Maj Jamerson, o acusador, comanda a 48CIPM, (Capital baiana)
 2) De Feira a Salvador são 108Km;
               3) Josafá foi culpabilizado no PAD (Processo Administrativo Disciplinar), aberto para apurar o fato;
              3) Três oficiais de Salvador compunham a Comissão apuradora:
Maj PM Egídio RANGEL Santos;
Cap PM LUIZ Cesar dos Santos;
Cap PM Márcio RIOS Lima Silva.