Tim 7191810853 Zapp7197331958 Zp7196340735 ALBA7130144337

Salve!


I made this widget at MyFlashFetish.com.

Seja um Seguidor. Assim você permanece visível e colabora com a multiplicação das informações.Seja

sábado, 12 de março de 2011

Descaso na emergência do Hospital EMEC de Feira de Santana

video
Drama no Hospital EMEC

Quem nunca sentiu isso, na pele, agradeça a Deus, e, não queira jamais sentir: o drama de ver seu ente familiar no leito hospitalar, porém, sem a presença do Médico; e pior ainda, quando o “Dr.” Está dormindo no conforto, sem a mínima disposição de trabalhar.
Lamento fazer parte dessa notícia, mas, não há outro jeito, pois isso aconteceu comigo.
Por volta das 3hs da madrugada do dia 09/mar/2011, cheguei à emergência do EMEC, socorrendo meu filho de 14anos, Cleiton dos P. Ramos, pois o mesmo passava mal. O Hospital estava calmo, colocamos o garoto no leito, mas não havia Médico no consultório; ele estava dormindo no conforto. Os atendentes (funcionários, enfermeiro, segurança e etc.) demonstravam interesse de cuidar do menino, e, lamentando informavam que o Dr. Julian Maurílio Santos Oliveira não queria levantar nem vir atender o garoto. Meia hora depois, após muita insistência, Dr. Maurílio, (sem sair da cama), mandou que o menino fosse medicado conforme histórico. Ou seja, que aplicasse os mesmos medicamentos que já foram aplicados em situação anterior. Atendimento via recado, e assim foi feito, embora o plantonista Dr. Julian Maurílio estivesse a 20metros Dalí. A situação deixava-me indignado e com vontade de “quebrar” o barraco; porém, a baixaria é sempre desagradável e, além disso, havia receios, por parte de minha esposa, de represálias do Dr. ou mesmo, de agravamento da saúde do garoto.


MAIS PROBLEMAS
Em seguida, por volta das 4:20h, chegava mais um caso de emergência. Um moço forte se contorcendo e gritando com dores, carregado por pessoas que o socorriam. Percebi que era o SD PM Freitas, a gemer. Seus acompanhantes, em desespero, tiveram de enfrentar o drama de ver o paciente quase desfalecendo, dentro da emergência, porém, sem ser atendido pelo Médico, pois o Dr. Julian Maurílio continuava no conforto. A pressão dessa vez foi maior que a malemolência criminosa do Médico: através de muitos gritos nossos, correrias de acompanhantes e chamamentos dos funcionários, o Dr. Julian se levantou e apareceu na emergência, ainda com asperezas, hostilidades e arrogâncias. Foram 15 minutos de agonia até o Dr. Ser despertado. 
video
O caso foi denunciado na diretoria do Hospital EMEC, e também junto à ouvidoria do Planserv.


segunda-feira, 7 de março de 2011

Praças reclamam por tratamento igualitário com Oficiais em camarote da PM-BA. --------------------------Outra queixa é que Praça não tem acesso à ala dos Oficiais; mas estes têm livre circlação em todo o camarote.

É um avanço o acesso da tropa ao camarote da Instituição, mediante sorteio. Porém, tem gerado insatisfações o tratamento diferenciado entre postos e graduações.
"Ganhei acesso, mas fiquei triste, pois Praça paga tudo e, Oficial nada paga". Protesta o SD PM Bispo, que foi sorteado mas tinha que pagar seu consumo.
A queixa maior é pela seguinte razão: se quem ganha mais e tem maior poder aquisitivo é "isento", como cobrar de quem ganha menos?
Em of, um TC PM afirmou ser isso um critério dos patrocinadores